Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

limbos verdes

limbos verdes

Orchis italica

  E o mês de março começou com dezenas de inflorescências desta belíssima orquídea, Orchis italica, também conhecida como a flor dos macaquinhos ou a flor do homem nu. Este primeiro exemplo (primeiras duas fotografias) é uma exceção. Cresceu sozinha. Não será indiferente a localização: desenvolveu-se em cima de um grupo de pedras. Na grande maioria dos casos crescem em grupos, como na imagem abaixo. Nas últimas fotografias, duas plantas  em que as flores (...)

novos avistamentos

Actualizado a 27 fevereiro, dia em que encontrei pela primeira vez um grupo de Ophrys bombyliflora, a orquídea zangão - fotografias acima - , e várias Cephalanthera longifolia - fotografias no final do post. São já quatro as espécies que vi pela primeira vez neste 2021.  (o post foi escrito inicialmente a 20 de fevereiro) Esta semana que passou foi incrível, relativamente ao avistamento de orquídeas silvestres. Vi três espécies que nunca tinha visto antes, duas (...)
15 Fev, 2021

Ophrys fusca

  Regressei ao local onde encontrei, pela primeira vez, as  Ophrys fusca, munido da lente macro. Não sei precisar mas demorei vários minutos para perceber onde estavam. Eu, que não sou um entusiasta que falemos com as plantas, dei por mim a chamar por elas - faz-me mais sentido que tentemos ouvi-las, entende-las, antes de tudo. A certo momento, estava pronto a desistir - já convencido que teriam sido comidas por (...)
11 Fev, 2021

*new one

Por sorte, ou talvez não, quando me preparava para voltar para casa, encontrei pela primeira vez seis pés desta orquídea silvestre, Ophrys fusca - devido várias características, época de floração, altitude, numero de flores igual ou inferior a três, há quem a considere Ophrys pintoi.  Antes de a ter encontrado fotografei várias outras plantas silvestres. Tinha acabado de cheirar o aroma de um jacinto silvestre - fresco embora com toque  intenso no final - senti-me grato (...)

ou o pelotão de soldados

  Apesar de ter vivido toda a minha infância e adolescência perto delas, e com idas regulares ao campo - não tão atentas como as de hoje, é verdade-, só em 2019, alguns anos depois de ter regressado à vida rural, descobri esta orquídea silvestre. Portanto, neste início de 2021 estou a dar pela presença delas pelo terceiro ano consecutivo, e é cada vez mais fascinante. A divulgação deste grupo de plantas - orquídeas silvestres europeias -, onde 'a gigante das (...)