Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

limbos verdes

limbos verdes

 

89EEAD7C-4EA9-43C6-852A-64BA02947184.jpeg

 Himantoglossum robertianum,   a gigante das orquídeas  avistada ainda em dezembro de 2020

FE80EE77-38CF-401D-AC71-E0655F079D42.jpeg

5D1C6101-86CD-442F-BFA5-B5268D2A0513.jpeg


 

EF54F81C-401F-4BE9-84E6-07CFB5D7AAF3.jpeg

a partir de 11 de fevereiro, e pela primeira vez, avistei diversas Ophrys fusca com algumas diferenças relativas à dimensao/cor das flores. as primeiras encontrei-as em locais de maior altitude e com uma estrutura mais pequena. as últimas -a partir de  1 março- mais altas e com flores maiores encontradas num local com sombra parcial e de menor altitude. 

C487D27E-E0D8-4C05-9A87-49514A3C9B9B.jpeg

D6C6FC55-EF87-4FB8-9ABB-FFC9110FCB01.jpeg

92428085-D4BD-4DE1-866A-ACBF9D130D05.jpeg

57AD4448-D00A-4B63-8538-4031D2E1BEBB.jpeg

 

Ophrys lutea, pela primeira vez, a partir de 19 fevereiro. fiquei impressionado pela quantidade e pela localização- num terreno relativamente próximo de minha casa. pela altura delas passaram despercebidas durante vários anos, porque ficaram quase cobertas pelo verde das plantas vizinhas. 

F6C47D9B-5B05-4C54-8797-7C81E6308941.jpeg

 



Orchis italica
a partir de 19 fevereiro. tão bom encontrar pequenas diferenças na cor/estrutura das flores ao longo deste período, como podem confirmar nestas imagens - e não corresponde à totalidade- a diversidade deste género. 
4CB21258-1FA5-4E29-8323-D02BC04A4F93.jpeg

C720D23A-3E36-4F00-8C70-308000E9717C.jpeg



Aceras anthropophorum,  também a partir de 19 de fevereiro, e pela primeira vez. 

5A39E7A4-2956-47F9-8DB8-817F814C41B5.jpeg

9BA9F366-BF5D-47FA-8B1E-6DFAC12A3CEF.jpeg

 

 


a 27 de fevereiro, para minha surpresa completa, encontrei pela primeira vez uma pequena 'comunidade ', concentrada num único local,  de Ophrys bombyliflora ou a orquídea zangão. 

95C50C79-5BB3-4D8C-8E9D-B3E52C6387FB.jpeg

38988D81-CEB9-4F03-B779-1198F86C64DF.jpeg

 


a partir de 4 março fui encontrando a Cephalanthera longifolia. afastei-me um pouco mais - 2kms- e avistei dezenas e dezenas desta beleza simples. 

479FCA81-9579-4EB5-88D3-24E0DF0A7B77.jpeg

68FEEA28-8B73-4538-BC7B-1738A8D8C42B.jpeg

AACF9E28-E7CB-4045-8241-049868D72917.jpeg

 



para encontrar esta espécie  tive de ir à serra do socorro - 18 março. nenhum dos pés da Ophrys tenthredinifera rebentou por aqui, como vinha sendo hábito nos últimos anos. - quando alerto para a fragilidade delas é porque, efetivamente, basta utilizar mais produtos mais 'agressivos' na agricultura que envolve estes locais, e elas desaparecem. como tenho verificado na aldeia, a população não as conhece. ou seja, também não as protege na forma como se relaciona com a 'terra'. é uma das minhas 'lutas'  por aqui... 

717B0E2B-2938-4D81-AF5B-7328D8223264.jpeg

2160E4D1-79EB-4AD4-BB6C-48D167CF4ACB.jpeg

 


também pela primeira vez, encontrei este ano alguns pés deste híbrido: Orchis x bivonae  e um único pé da orquídea espelho- ophrys speculum subsp. lusitanica - 19 março 

096D0C63-3512-43AB-96EA-19AAC4CF560B.jpeg

E89A597A-C58A-447F-A86E-7E6FAE2E4689.jpeg

304977C6-DB68-4115-9610-64E4FB56A012.jpeg

9ACD1B2C-8F9F-4DB3-A3ED-C4B48F648342.jpeg

 

 

Anacamptis pyramidalis, a partir de 22 de março. desde tons rosa intenso até ao branco

24C8B525-F3BE-4F7A-B65A-6943792ADC63.jpeg

959AB061-0ECA-4065-98A9-F0A5A3F3F29A.jpeg

7495C4B6-1E8E-4D56-8992-9DA88A50668C.jpeg

180BAB1F-C1A4-4E6E-B768-6171014A5EE6.jpeg

 

CF99CC55-A16F-41B9-B5B6-5CF3BC88A2A4.jpeg

 

a partir de 4 abril: as Serapias parviflora

94D4A068-9EA9-4512-B9E9-0A1A352ED5BF.jpeg

0200D6FE-0A46-49E3-B6FB-3B0B25AF34D5.jpeg

 

asOphrys scolopax, a partir de 10 abril 

B4425CD0-DC6D-4953-89CD-F122CC7A6778.jpeg

 

D1857854-F8EE-4863-8C5E-1741615F2FCA.jpeg

BC6AF975-85CD-4C0F-8137-0FF040B20588.jpeg

as Ophrys apifera estiveram especialmente bonitas neste 2021. também a partir de 10 abril. 

23A43ADD-6CE6-42EC-A900-EDE61A1E4081.jpeg

5F13CBE8-73BB-4A20-A0C4-188BF6DBE357.jpeg



 

a 22 de abril  encontrei pelo segundo ano um único pé desta Anacamptis coriophora  mas desta vez a inflorescencia estava em mau estado, parecendo ter sofrido com algum fungo. 

AFE55267-CCAF-416B-9D04-5173BF59E5CE.jpeg

 

no mês de março visitei a serra de montejunto onde avistei várias orquídeas silvestres aqui mencionadas. entre elas a Orchis mascula

C6E7B09E-B2B0-40F2-B5C3-0D5A8DD15F38.jpeg

945131A7-1FD4-40D6-9407-323A833F329F.jpeg


pode rever as orquídeas silvestres 2020aqui

 

[ a grande maioria destas orquídeas desenvolve-se num raio de 500m a 2 km de minha casa - na verdade, pelo segundo ano consecutivo, cresceram no meu quintal a Ophrys apifera - orquídea abelha - e em 2021 a Aceras anthropophorum. sou um privilegiado por ter dois blocos de solo - um bem maior do que o outro - nesta área, onde estas plantas autóctones se desenvolvem - por serem naturais deste local, por terem passado por um processo de adaptação ao meio. no caso das Ophrys ainda é mais especial porque a adaptação é também relativa aos polinizadores. a forma da flor comunica/fala diretamente com eles. e isso não é mágico? um ser vegetal que imita animais/ insectos com quem partilha o local onde vivem, que 'observa' o que está à sua volta e comunica transformando a sua  forma, relacionando-se assim com o meio, com o outro... está na altura de vivermos mais 'este' mundo e, principalmente, deixá-lo viver. parece-me.] 

 

20 Jan, 2022

um campo verde

6D32E8CB-F523-4956-92BA-B2E67F9BF926.jpeg

o meu coração é um campo verde

um campo verde em forma de círculo,

com uma fonte de água ao centro.

um verde macio, suave, vibrante
que antecipa cores, flores

um verde que cria um ar tão puro que faz sonhar - assim que nele se inspira. 

 

26043CED-495D-4CE5-A631-0E09B2B77988.jpeg


2D78561E-287A-43F4-BE53-28D239F3EF90.jpeg

"indra, the king of the gods, gave birth to the sun and moves the winds and the waters. 

imagine a spider web that extends into all dimensions. the web is made up of dew drops and every drop contains the reflection of all the other water drops, and in each reflected dew drop you will find the reflections of all the other droplets. the entire web, in that refletion and so on to infinity. 

 

indra's web could be described as a holographic universe, where even the smallest stream of light contains the complete pattern of the whole."

 

in inner worlds outer worlds 

 

[ florações de Origanum vulgare e de Clinopodium vulgare cobertas de gotas de orvalho - spider web - em maio passado.]

8AA45A2E-6743-4020-B0E6-32F8A65FBC70.jpeg

893E7D81-5740-4B04-85DC-433718F0CAA2.jpeg

14 Jan, 2022

nos dias primeiros

elas voltam

 

 

no início do ano, as orquídeas gigantes, os narcisos e as margaridas voltam,

para nosso

 

 

con·ten·ta·men·to

nome masculino

1. Estado de quem está contente.

2. Satisfação.

 

 

the beauty way - navajo prayer 

In beauty I walk
With beauty before me I walk
With beauty behind me I walk
With beauty above me I walk
With beauty around me I walk
It has become beauty again
It has become beauty again
It has become beauty again
It has become beauty again

(...)

 

 

[ com alguma apreensão:

um inverno com ameixas - sem sabor - no quintal,  a floração de várias   silvestres - Blackstonia perfoliata, Petrorhagia dubia, ... -que mostram as suas cores na primavera/verão habitualmente. noto também muitas Himantoglossum robertianum não tão altas e com as flores menos 'densas' comparando com as florações anteriores. os narcisos amarelos - bulbocodium - rebentam da terra muito timidamente e não com a abundância de outros dias. não tenho como o demonstrar mas associo tudo isto às temperaturas mínimas demasiado elevadas, este ano. também não tenho como demonstrar se esta alteração climática tem relação com o comportamento humano.mas tenho a minha intuição. vale o que vale.  ]

 



13 Jan, 2022

notas 6

1 ano

 

4BAADFE5-2206-4BC5-A637-B9CBBADA5EAA.jpeg

1 ano de limbos verdes.


1)  a forma que encontrei para aqui me expressar, ao longo deste ano, tornou-se numa especie de exercício orgânico - honesto, penso eu - ai o auto elogio, começa bem... eheh. numa fase inicial pensei na possibilidade de gerir o conteúdo de outra forma/formula. mas cada vez me fez menos sentido. assim, este espaço tornou-se numa extensão minha - do meu olhar/mente e, por vezes, do meu coração e da minha alma - e não tanto um depósito de informações variadas - provável que não seja tão interessante para uma série de pessoas, acredito, mas é o que me faz sentido neste período da minha vida. depois de vários anos a dar formação e a produzir plantas, tornar este espaço numa repetição do passado, não me interessou. 

832FBF9D-787F-4C6E-9BC9-685D98BF74A8.jpeg

2) quando começou a ser pensado, já andava a fotografar com a diana f +, a tal da lente de  plástico, mas só a meio do ano as imagens por ela captadas começaram a ser partilhadas. tem uma série de limitações. não é possível focar, por exemplo. mas sinto-a como um objeto desafiante - ando a namorar uma máquina com mecanismo pinhole em madeira,é linda, não é? - ficou assim registado neste blogue um movimento que eu próprio fui fazendo nestes últimos tempos, com mais consciência :

•  imagens precisas, muito definidas, de pormenor -> para imagens mais desfocadas, com menos detalhe, com mais 'espaço/tempo' entre os objetos

•da partícula - matéria  -> para o vazio - ou para a energia que nele possa passar - talvez, por vezes, 'a energia que cria mundos',  who knows- acho esta expressão deliciosa! 

• do visível-> para o invisível, de certo modo

 

 

89A18FAA-2C59-4086-AD0F-56136020D74E.jpeg

o mesmo ser vegetal fotografado com a mesma técnica- pinhole - com uma diferença de 30m, aproximadamente, entre as duas imagens. a última ficou impressionante por lembrar tanto uma cabeça/ cérebro humana/o e com tons azul/vermelho. tão interessante, do meu ponho de vista, porque simboliza todo um contraste/amplitude/polaridade que é característico do ser humano, que cada um de nós tem em si - pensamentos/emoções; ação/afeto; masculino/feminino. 

BFBF5BFA-5C72-40BB-8012-D143A58FB715.jpeg

 

3) de um ponto de vista mais pessoal, foi um ano especial:

• encontrei a flor mais bonita que alguma vez vi - aquele 'metal e veludo' tão bem ligados, uma subtileza tão rica, que nem damos pelo suposto contraste. duvido que encontre algo mais belo neste tempo de vida - sei que é um pensamento inútil, mas... 

• fiz as fotografias com mais interesse, mais especiais, para mim pelo menos. podem não dizer nada ao resto do mundo, mas para mim várias delas dizem-me muito.  o meu eu mais profundo esteve presente quando as fiz , de tal forma que quando as observo o coração de imediato reconhece e desperta. embora sinta que tenho - quase - tudo por fazer

voltei a meditar diariamente, alguns ajustes no tipo de meditação e só posso recomendar que também o façam. estou a preparar um post sobre a minha relação com  estas técnicas. não sei quando, mas deverá ser concluído e partilhado num futuro próximo. fui encontrando, ao longo deste ano, um bem estar, uma 'coerência' do pensar e do sentir  que me tem trazido  boas e inesperadas surpresas - sorry pela redundância. não sei precisar neste momento as substâncias que o meu corpo anda a produzir, mas são maravilhosas! acho que nunca estive  tão desperto, com uma confiança no imprevisível, um sonhar acordado, como agora. quando nos ajustamos  com aquilo que realmente somos, só pode correr bem.

 

801E1001-9BA8-419E-A93F-6FB3E7A33CDC.jpeg

 

4) sei que continuarão a surgir imagens ao longo deste ano -de diferentes câmeras e de diferentes locais. tenho muita vontade de viajar e fotografar a vegetação de outros sítios. há caminhos - também fotográficos- que se abriram e que continuarei a seguir. fotografar em modo pinhole tem sido tão estimulante: a ideia de registar 'sucessões de agoras', de fixar  parcelas de 'contentamento'/tempo, - menores ou maiores... 

5) também sei que vou aventurar-me na multiplicação de orquídeas silvestres - por sementeira.  'jardins de orquídeas silvestres, já!' :) - quero treinar no meu terreno, que está muito próximo do local onde elas vivem. não sei se será fácil, mas sei que tenho de o tentar/fazer. 

A6A0404A-F214-4C60-BB8D-2DC34F526E73.jpeg

EC4BC8F0-0582-4317-95DA-3B0D581D3EEB.jpegvoltarei ao tema das janelas/portas no post sobre a meditação/plantas que estou a escrever. 

 


6) deixo aqui uma fotografia do primeiro rolo de todos , quando voltei a pegar na dianaf + -dezembro 2020-não gostei dela  na altura - este rolo já tinha sido usado, só descobri depois- mas, hoje, vejo-a com algum carinho. foi feita quando estava a pensar no nome para o blogue - domínio- e andava a refletir na palavra atmosfera. quis pôr  um céu debaixo da copa de uma árvore. não está bem conseguida, mas partilho-a neste post, porque acabou por fazer parte deste processo. não foi de propósito, mas acabei por colocar uma fotografia que tem a ver com esta no início do post. se repararem, em cima à direita, estão algumas árvores. quase não se nota, mas é uma versão desta fotografia, de certo modo.

079C5D5B-2B05-40B3-B521-FEAA197E7245.jpeg

7) deixo tambémaqui um apanhado feito pelo meu telemóvel - há semanas decidiu mostrar-me - com imagens do dia preciso em que o blogue nasceu. curioso porque algumas árvores  fotografadas há um ano surgem agora captadas pela diana f+ com as técnicas que entretanto encontrei para registar  - de forma mais fiel à minha percepção - o que me rodeia, o que por - mim - aqui  passa. 

 


0ED37684-A5C2-488C-86AA-E15EC41E2CAC.jpeg

 
 
 
pos.si.bi.li.da.de
 
pusibiliˈdad(ə)
nome feminino
 
1.
qualidade do que pode realizar-se; eventualidade
2.
aquilo que pode acontecer; alternativa; caso
3.
capacidade de fazer ou realizar algo; faculdade
4.
oportunidade
5.
plural meios de que se pode dispor
6.
plural posses; rendimentos
7.
plural capacidade


956D6E3C-A232-4F61-8A3A-9F5F8BDB1DCF.jpeg
movimentos vários numa sucessão de agoras.

fotografia em modo pinhole com dupla exposição - esperei vários meses para conseguir faze-la. esta posição específica do sol,  atrás deste forte, só ocorre nesta altura do ano. pode não parecer, mas a localização do sol é fundamental para concretizar esta dupla exposição. 


8) do som  :
 
 
 

9) concluir o post deste 1.ºaniversário com uma banda sonora- acima - e com a descrição de uma imagem/vídeo, na impossibilidade, até hoje, de a registar com  dignidade: 
 
uma das belezas que por aqui habita são  grupos de passarinhos - têm metade do tamanho de um pardal . formam pequenas nuvens. o movimento de cada um deles, enquanto avança, sobe e desce  ligeiramente - tem poderes hipnóticos - a poucos metros do solo, na procura de sementes. o som, suave. na maioria das vezes não tenho sequer o impulso de filmar, porque não quero deixar de receber aquela informação, aquelas imagens em movimento - uma ou outra vez tentei mas são tão pequenos que  a lente tem dificuldade na focagem. ao final da tarde as asas refletem o sol dourado, enquanto batem rapida e repetidamente. indivualmente parecerem desajeitados - tendo a identificar-me um pouco - mas quando  olhamos para o todo percebemos afinal uma ordem ou equilíbrio. percebo-os como se fossem uma respiração ou um pulsar subtil  da terra, como se cada pequena nuvem destes pequenos pássaros fosse um coração, que parece que se vai desintegrar mas que permanece um todo, na cadência expansão/contração ... um todo livre.

7C1BE001-8130-4C42-B67C-D498BCE2DB6E.jpeg

 
tune in 
 
e portanto, que neste novo ano, aquilo que procuramos nos encontre.